Linhas temáticas
LT8 - Património geológico e geoconservação

Coordenador: José Brilha

O plano de investigação desta LT é baseado em quatro tarefas sucessivas, tendo como base o inventário nacional de geossítios:

  • Avaliação do valor científico

Atualmente, um inventário de geossítios deve incluir a sua avaliação quantitativa. A importância de uma avaliação quantitativa está relacionada com a necessidade de diminuir a subjetividade da avaliação. O estabelecimento de critérios objetivos pode ajudar a reduzir os fatores de subjetividade e justificar a presença de um certo geossítio no inventário. Além disso, ter uma lista ordenada de geossítios com base na sua relevância científica é também muito importante para definir prioridades numa estratégia de geoconservação. Representatividade, raridade, possível utilização como modelo para ilustrar processos geológicos, diversidade de elementos geológicos, integridade e associação com diversos elementos geológicos são alguns dos critérios mais utilizados para avaliar o valor científico de geossítios. Durante esta tarefa, espera-se definir outros critérios para ajudar nesta avaliação. Será salientada a interferência entre o tipo de elemento geológico e a área do afloramento (fator de escala).

  • Cartografia geológica e geomorfológica

Alguns geossítios estão localizados em áreas com inúmeros trabalhos científicos já publicados. Mas há um número razoável de geossítios onde não existe um mapeamento geológico detalhado. Portanto, é necessário desenvolver esse mapeamento geológico utilizando uma escala adequada para caracterizar corretamente o valor científico do geossítio. Além disso, esse mapeamento também é considerado como uma importante ferramenta para fins de gestão. Para geossítios com valor geomorfológico, um mapeamento geomorfológico será produzido. A escala destes mapeamentos é dependente do tipo e diversidade dos elementos geológicos responsáveis pelo valor científico da geossítio.

  • Definição dos limites de geossítios e zonas-tampão

Apesar de todos os geossítios do inventário terem sido identificados de acordo com o seu potencial científico, há algumas questões a serem resolvidas tendo em conta as necessidades de gestão. Para cada geossítio é necessário definir claramente: i) Quais os elementos geológicos responsáveis pelo valor científico do geossítio? ii) Existe mais de um elemento geológico presente no geossítio? Qual é o mais importante? iii) Qual é o estado desejável de conservação desses elementos? iv) Onde estão as fronteiras físicas do geossítio? v) Existem ameaças que afetam o geossítio? vi) É necessário definir uma zona tampão? vii) Que tipo de atividades podem ser autorizados dentro da área do geossítio e dentro da sua zona de amortecimento? Todos esses dados serão recolhidos por meio de um formulário eletrónico especialmente desenvolvido para esta tarefa. Os limites físicos de cada geossítio serão mapeados usando um GPS de alta precisão.

  • Produção de uma base de dados SIG

Todos os dados recolhidos no campo serão armazenados numa base de dados SIG. Esta base de dados é um produto que pode ser usado e adaptado por outros países no futuro. A base de dados também será preparada para receber e computar informações relativas ao monitoramento de geossítios.